Setembro Azul ou Setembro Amarelo, qual é o mais importante?

Setembro Azul ou Setembro Amarelo, qual é o mais importante?

Janeiro Branco, Outubro Rosa, Novembro Azul… 

Os meses com cores surgiram para conscientizar a população sobre a prevenção e tratamento de doenças, e até mesmo para debater outros temas que merecem visibilidade. As iniciativas teriam começado com Outubro Rosa, mundialmente conhecido e celebrado anualmente desde a década de 90, como uma alerta à população sobre a prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama.

Existem meses com até quatro cores diferentes e no mês de setembro duas cores chamam a atenção: a Azul e a Amarela. E, se você não sabe a importância dessas campanhas, vai conhecer a partir de agora! Vamos contar um pouquinho da história de cada uma delas.

 

O que é o Setembro Azul?

Conhecido como o mês do surdos, setembro é marcado por datas importantes para essa comunidade e, por conta disso, foi escolhido para representá-los. Da mesma forma, a cor azul possui um significado relevante, que para muitos pode parecer triste, mas também pode ser encarado como um símbolo de orgulho e resistência da comunidade surda.

Durante a Segunda Guerra Mundial, os surdos e pessoas com deficiência eram considerados inferiores pelos nazistas, e para identificá-los, eles obrigavam a usarem uma faixa azul no braço. Porém, após o fim da guerra e com o passar dos anos, a cor começou a ter um novo sentido. Essa ressignificação do azul ficou marcada durante a Cerimônia da Fita Azul, que lembrava os surdos vítimas da opressão. Nesse evento, Dr. Patty Ladd (surdo) usou uma fita desta cor no braço, pela primeira vez como símbolo do movimento.

Hoje, o azul turquesa é utilizado para representar a riqueza cultural de uma comunidade que brilha com muito orgulho. Muitas ações e campanhas são realizadas durante todo o mês como forma de dar voz aos surdos e incentivar as pessoas a tornarem o mundo um lugar mais inclusivo, mesmo que com pequenas atitudes. 

 

Por que Setembro Amarelo?

Celebrado também no mês de setembro, o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio foi instituído para chamar a atenção da população para esse grave problema. Como forma de marcar a data, o CVV (Centro de Valorização da Vida), o CFM (Conselho Federal de Medicina) e a ABP (Associação Brasileira de Psiquiatria) criaram, em 2015, a campanha Setembro Amarelo.

A cor foi adotada por conta de uma triste história. Em 1994, Mike Emme, um jovem americano de apenas 17 anos, tirou a própria vida batendo seu Mustang amarelo. Seus amigos e familiares distribuíram flores amarelas durante o funeral, e amarraram fitas da mesma cor em seus cabelos, roupas e chapéus. Após isso, começaram a disponibilizar para a população papéis amarelos com a mensagem “por favor, não faça isso, por favor, fale com alguém” junto com números de telefone para quem precisasse pedir ajuda.

Essas ações começaram a ser cada vez mais conhecidas e motivaram o movimento que em alguns anos chegou até o Brasil. mobilizando o país através da iluminação amarela de monumentos históricos, congresso nacional e outros prédios governamentais. Além disso, campanhas e alertas são feitos durante todo o mês para a discussão do tema.

 

Mas afinal, qual das campanhas é a mais importante?

Ambas têm papel muito especial!

Uma campanha não compete com outra, elas andam juntas e têm mais em comum do que se imagina. Falar sobre surdez com alguém que não tem contato com surdos, geralmente se torna um tabu e falar sobre morte por suicídio é bem incômodo para muita gente também.

Porém, é importante entender que surdo também é gente e possui questões relacionadas a saúde mental como qualquer outra pessoa. Discussões sobre a prevenção do suicídio, e outras doenças, devem englobar esse público da mesma forma. Só no Brasil a cada quarenta e cinco minutos uma pessoa tira a própria vida. Alertá-lo a respeito disso e realizar uma comunicação direta é um ótimo caminho. A vergonha e preconceito podem ser quebrados através de ações acessíveis sobre o tema. Conhece sua história e entender que a surdez não é algo que o isola da sociedade, colabora muito para derrubas essas barreiras. A campanha #VocêEscuta? foi criada justamente com esse intuito. Existe alguém por trás da surdez! E essa pessoa possui emoções, desejos e merece a mesma atenção que todos. 

Assista os vídeos da campanha #VocêEscuta? e mergulhe em histórias inspiradoras!

 

 

 

Ah! E ainda vale lembrar que falar é a melhor maneira de prevenir o suicídio, seja de forma oral ou sinalizada, a escuta é o maior apoio que podemos oferecer.

Se você precisa de ajuda ou conhece alguém que precisa conversar e não sabe como, saiba que Centro de Valorização da Vida realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas, sob total sigilo por telefone, e-mail e chat 24 horas todos os dias.

 

Centro de Valorização da Vida

Telefone: 188

Chat ou E-mail: https://www.cvv.org.br/

 

 

Compartilhe esse post!


No votes yet.
Please wait...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *