A história da Libras, a língua de sinais do Brasil

A história da Libras, a língua de sinais do Brasil

Vamos começar com um pequeno quiz: O que é a Libras?

a) A moeda utilizada na Inglaterra

b) O signo da minha melhor amiga

c) A Língua de Sinais Brasileira, uma das línguas oficiais do país 

 

Não dá para dizer que as alternativas A e B estão erradas, mas a alternativa C é uma resposta que pouca gente acerta. Tem três detalhes importantes nessa resposta que às vezes passam despercebidos. O primeiro é que a Libras é, sim, uma língua, e não uma linguagem (como a gente já explicou neste post aqui). O segundo é que ela é um idioma oficial, com estrutura e regras próprias, e não um monte de gestos que explicam o Português. Por último, a Libras é a língua de sinais brasileira, o que significa que não é universal e que sua história é parte da história do Brasil. E essa história é longa e ainda está sendo escrita (ou melhor, sinalizada!😆 ). Vamos conhecê-la!


História da língua de sinais (Libras): Imagem retangular, na horizontal, com fundo laranja escuro. No canto esquerdo há uma cadeira de rodas e um olho e uma orelha com traços em cima, simbolizando diferentes deficiências. No centro lê-se em branco "Como investir em acessibilidade pode ser um trunfo no crescimento da sua organização.". No canto direito há um botão amarelo retangular de bordas arredondadas, com o texto em laranja: Baixe o ebook grátis". Fim da Descrição.

 

Como tudo começou

A história da nossa língua de sinais se mistura com a história dos surdos no Brasil. Até o século XV os surdos eram mundialmente considerados como ineducáveis. A partir do século XVI, com mudanças nessa visão acontecendo na Europa, essa ideia foi sendo deixada de lado. Teve início a luta pela educação dos surdos, na qual ficou marcada a atuação de um surdo francês, chamado Eduard Huet. Em 1857, Huet veio ao Brasil a convite de D. Pedro II para fundar a primeira escola para surdos do país, chamada na época de Imperial Instituto de Surdos Mudos. Com o passar do tempo, o termo “surdo-mudo” saiu de uso por ser incorreto (a gente falou sobre isso nesse post aqui), mas a escola persistiu e funciona até hoje, com o nome de Instituto Nacional de Educação de Surdos – a famosa INES.

A Libras foi criada, então, junto com a INES, a partir de uma mistura entre a Língua Francesa de Sinais e de gestos já utilizados pelos surdos brasileiros. Ela foi ganhando espaço pouco a pouco, mas sofreu uma grande derrota em 1880. Um congresso sobre surdez em Milão proibiu o uso das línguas de sinais no mundo, acreditando que a leitura labial era a melhor forma de comunicação para os surdos. Isso não fez com que eles parassem de se comunicar por sinais, mas atrasou a difusão da língua no país.

Com a persistência do uso e uma crescente busca por legitimidade da língua de sinais, a Libras voltou a ser aceita. A luta pelo reconhecimento da língua, no entanto, não parou. Em 1993 começou uma nova batalha, com um projeto de lei que buscava regulamentar o idioma no país. Quase dez anos depois, em 2002, a Libras foi finalmente reconhecida como uma língua oficial do Brasil.

 

Lingua de Sinais: Imagem retangular de fundo azul escuro. No lado esquerdo lê-se em branco "Os maiores equívocos dos gestores na contratação de PCDs". No lado direito há um botão retangular verde de bordas arredondadas com o texto em azul "baixe o ebook grátis". Fim da descrição.

 

A história recente

Essa conquista se somou a outras mais atuais, que sempre passaram pelo campo da legislação. Nos últimos anos não foram poucas as leis e recomendações que buscaram regulamentar aspectos  da língua de sinais e da comunidade surda:

  • 2004: Lei que determina o uso de recursos visuais  e legendas nas propagandas oficiais do governo;
  • 2008: Instituído o Dia Nacional do Surdos (26 de setembro);
  • 2010: Foi regulamentada a profissão de Tradutor e Intérprete de Libras;
  • 2015: Publicação  da Lei Brasileira de Inclusão, que trata da acessibilidade em áreas como educação, saúde, atendimento, cultura, trabalho etc.;
  • 2016: Anatel publica resolução com as regras para o atendimento das pessoas com deficiência por parte das empresas de telecomunicações;

Mesmo com todos esses avanços, a Libras ainda é pouco conhecida e usada entre os ouvintes. Seu status de língua oficial não é validado na prática. Para mudar essa realidade precisamos tratar a língua de sinais como realmente nossa, defendendo-a e procurando aprender mais sobre ela. Você sabia que existem diversos cursos de Libras gratuitos e online? A gente fez uma lista com 5 maneiras de aprender o idioma sem custo, que tal começar por lá?

O que mais você acha que pode ser feito para difundir a Libras no nosso país? Estamos aceitando sugestões nos comentários! 😉

 

Continue lendo:

Compartilhe esse post!



9 thoughts on “A história da Libras, a língua de sinais do Brasil”

  • 1

    Olha não sou surdo mais amo libras❤😍

  • 2
    luciano on Responder

    eu quero e libras sinais ………….

  • 3
    Rafael Moura Viana on Responder

    como quero ser um futuro otorrino na área quero estar preparado para atender os diferentes públicos

  • 4
    ademilson costa on Responder

    Olá!Texto muito interessante!Acredito que a comunidade com deficiência auditiva merece toda a atenção e apoio por parte da sociedade e do governo!A acessibilidade e a inclusão também são imprescindíveis na vida dessa parcela da população!
    Sou cego total e tenho noção do quanto precisa melhorar para todos nós, sem distinção!!Um abraço.

  • 5
    Isabel Cristina Veloso Fonseca Melo de Nazareth on Responder

    Bom, o resumo do resumo que fizeram. Objetivo é direto

  • 6

    Olha só! Que interessante. Por isso adoro a internet, eu visito diário virtual de todo nicho porque possui
    muita coisa legítimo como seu artigo.

  • 7
    Miria Maria da Silva Cruz on Responder

    Estou fazendo o curso de Libras na UFMG. Gosto muito. Durante toda trajetória do meu trabalho como professora, me interessei quando tive um aluno surdo. Me preocupava muito com ele. Mas na época não tinha muito o que fazer. Apenas doei minha atenção, meus cuidados e muito carinho. Hoje, já aposentada, sonho em aprender bem e poder ajudar , contribuir com dedicação aos queridos. Eles fazem parte de minha vida.

  • 8
    Rosiane Soares Flórido on Responder

    Não sou surdo mas amo Libras 💖👍

  • 9
    Rodolfo on Responder

    Mto boa a matéria, não é mto longa e explica bem de uma forma resumida! Adoro vcs!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *