Posso usar acessibilidade como posicionamento de marca?

Posso usar acessibilidade como posicionamento de marca?

Se você é um leitor assíduo aqui do Blog, com certeza não vai se assustar com esse número. Mas se você não é, vale lembrar: hoje, só no Brasil, são mais de 45 milhões de pessoas com deficiência – cerca de 24% da população do país. Um grande parcela do mercado consumidor que, sem acessibilidade, não consegue entender a mensagem da sua empresa – e deixa de comprar seu produto ou serviço.

Já conseguiu entender por que é importante falarmos de posicionamento de marca e acessibilidade? Então ouve só:

Estima-se que na internet brasileira, apenas 2% dos sites estejam acessíveis, apesar desse requisito ser Lei desde janeiro de 2016. Ou melhor, mesmo que órgãos internacionais como a W3C (órgão responsável pela padronização da web) trabalhe todos os dias na conscientização para uma internet mais acessível. Não dá para a gente estimar hoje o poder de compra absoluto das pessoas com deficiência, mas podemos ter uma ideia, uma vez que esse público representa 1/4 da população brasileira.

A verdade é uma só: não estar acessível demonstra uma grande falta de empatia e pode trazer problemas como a possibilidade de multa. No fundo, as empresas que não investem em acessibilidade basicamente estão deixando dinheiro na mesa.

 

Mas, como falar de acessibilidade da maneira correta?

Bom, o mais importante primeiro: nunca diga que você faz algo que na verdade você não faz. Isso é extremamente relevante e é o que vai fazer a diferença entre um bom e mal posicionamento. Trate a acessibilidade com cuidado, como um projeto tão importante quanto os outros e determine qual será o retorno desse investimento. Sempre converse com especialistas.

Mas, depois que estiver tudo nos conformes: divulgue! Conte para todo mundo, especialmente para as pessoas com deficiência que estão sendo beneficiadas com essa ação. Um exemplo bacana é quando nossos clientes colocam o Tradutor de Sites da Hand Talk em suas páginas. São feitas postagens específicas para o público surdo, tanto em suas mídias sociais quanto nas da Hand Talk. Encontrar parceiros e influenciadores do público que você está querendo abordar também é sempre uma excelente ideia!

 

Imagem retangular na horizontal, com fundo verde-água. No canto esquerdo há dois elementos: um computador com dois símbolos saindo de si em balõezinhos, o símbolo de acessibilidade da ONU e um vaso com uma flor, com um cifrão ($) no centro. Além disso há uma pequena faixa no canto esquerdo com o texto "ebook grátis!" escrito em branco. No centro da figura, em negrito há o texto "Porque ter seu site acessível é uma oportunidade de negócio". No canto direito da imagem há um botão laranja com o texto "baixe o ebook grátis" em branco. Fim da descrição.

 

Mais importante que dizer é como dizer!

Compreenda bem quem é o seu público e como ele precisa que a mensagem seja dita. E calma, não é nada difícil… Ações simples podem fazer toda a diferença! Por exemplo, colocar a hashtag #PraCegoVer e descrever as fotos dos seus posts nas redes sociais é uma coisa simples e que faz toda a diferença para pessoas cegas e com baixa visão, que usam leitores de tela. Vai colocar um vídeo no seu site? Tenha certeza de que ele possui legendas e uma janela de Libras e de que o conteúdo está em um site acessível 🙂

Não importa quão incrível sua mensagem possa ser… se ela não for inteligível para todas as pessoas, será que ela é mesmo a mensagem correta? Lembre-se, quando você não se preocupa com acessibilidade, sua marca deixa de impactar 1/4 da população brasileira.

 

”Nada sobre nós sem nós!”

Esse é o lema do movimento que pede por mais acessibilidade, não é possível falar de acessibilidade sem ouvir as pessoas com deficiência! Fale com as pessoas com deficiência dentro da sua empresa, peça para elas contarem essa história! Mas, não deixe sua empresa cair na mesmisse e coloque o pessoal para falar não só das suas deficiências, mas de assuntos diversos. Coloque-os para falar também temas que são interessantes ao público – diferenciais da sua empresa, workshops de melhoria e diversas outras coisas que podem ser um grande trunfo para o seu posicionamento como empresa e site acessível 🙂

 

Você viu que o caminho não é difícil, mas requer vontade de fazer as coisas acontecerem! Uma boa dica é seguir o exemplo da Natura, uma grande parceira nossa que contou um pouco de como faz para ser reconhecida por um posicionamento acessível com os seus clientes e colaboradores! Vale a pena conferir o case no link aqui embaixo 🙂

 

Lei de Cotas: Banner Retangular, na horizontal, com fundo roxo. No canto esquerdo vê-se parte do logo da Natura, uma flor branca estilizada. No centro lê-se em letra cursiva laranja "Case de sucesso:". Abaixo disso, em branco há o texto "Como a Natura vai muito além da Lei de Cotas e como a sua empresa também pode ir". No canto direito há um botão retangular de bordas arredondadas na cor verde com o texto descubra aqui" em roxo. Fim da descrição.

Compartilhe esse post!



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *