5 maneiras de melhorar o seu SEO com acessibilidade digital

5 maneiras de melhorar o seu SEO com acessibilidade digital

É um equívoco comum pensar que a acessibilidade digital tem um custo alto para desenvolvedores e profissionais de marketing, e que ela traz poucos benefícios. Na verdade, as práticas recomendadas de SEO (do inglês, Otimização para Mecanismos de Busca) e as Diretrizes de Acessibilidade para Conteúdo Web (WCAG) se sobrepõem.

No Brasil, 23,9% dos adultos possuem algum tipo de deficiência. Ainda assim, muitos profissionais de marketing têm pensado a acessibilidade tardiamente, e não como um pilar crucial na hora de produzir conteúdo. No entanto, a realidade é que os sites que tratam a acessibilidade digital com seriedade ranqueiam melhor que a concorrência. Isso pode ser visto tanto no Google, quanto no YouTube.

Pessoas com deficiência (visual, auditiva, cognitiva ou outras) podem navegar na web e consumir conteúdo de diversas formas, incluindo por meio de tecnologias assistivas. Por isso, não é difícil entender por que a falta de acessibilidade afeta negativamente o SEO. Além disso, é importante dizer que a acessibilidade não deve ser pensada apenas pelos desenvolvedores.  Na verdade, ela deve ser uma pauta de toda a equipe da empresa.  

Aqui vamos dar algumas dicas para você tornar o seu conteúdo mais acessível, seja via mobile ou no desktop.

 

Acessibilidade no mobile

Não é surpresa que os conteúdos online vêm sendo consumidos principalmente via mobile. Dessa forma, é possível dizer que a acessibilidade nos celulares é tão importante quanto nos computadores.

Para ser mais acessível no celular, o texto do seu site deve ser redimensionado em até 200% sem a necessidade de tecnologias assistivas de terceiros. Se um usuário tiver deficiência visual e não conseguir ler o conteúdo, ele provavelmente sairá sem fazer a conversão esperada. Além disso, uma relação de contraste de cores apropriada é importantíssima. Isso pode ajudar muito  quem tem baixa visão ou daltonismo.

 

Conteúdo não textual

Conteúdos como imagens e infográficos devem conter descrições do que está sendo exibido, geralmente em um atributo Alt. O atributo Alt é importante porque os leitores de tela, utilizados pelas pessoas cegas por exemplo, dependem dele para transmitir o conteúdo ao usuário. Em vez de colocar “imagem de um cachorro” no atributo alt, procure ser específico, para transmitir a informação que alguém teria ao olhar para a imagem. Por exemplo: “um cachorro golden retriever sentado obedientemente”.

Quanto a vídeos e áudio, é interessante transcrever o conteúdo e disponibilizar legendas ocultas revisadas, ao invés de optar pelo que é gerado automaticamente pela plataforma que você estiver usando. Vídeos com legendas ocultas e transcrições precisas são favorecidos pelo YouTube e devem ser parte integrante da sua estratégia de desenvolvimento de conteúdo. Transcrever seu conteúdo visual e de áudio em vários idiomas é outra maneira de aumentar o tamanho do seu público.

Além disso, os vídeos com legendas que estiverem dentro do seu site podem ser traduzidos automaticamente para a língua de sinais por meio de plugins, o que deixa o conteúdo acessível para as pessoas surdas.

 

Torne a navegação mais fácil e consistente

A experiência do usuário (UX) é um tema central na hora de produzir qualquer tipo de conteúdo. E o mesmo vale para a experiência das pessoas com deficiência, que não deve ser mais difícil ou excludente.

Os usuários devem ser capazes, por exemplo, de navegar no seu site usando apenas o teclado. Além disso, a ordem de tabulação deve ser considerada. Certifique-se de que há muitos landmarks para que os usuários com leitores de tela e outras tecnologias de assistência possam navegar adequadamente sem precisar ouvir todo o texto na página.

 

Imagem de fundo roxo, com o sinal de acessibilidade à esquerda. Ao lado direito da figura está escrito: o guia final de ferramentas de acessibilidade digital.

 

Título da página e língua

Cada página deve ter um título único e descritivo, juntamente com o código HTML. Este deve identificar o idioma usado. Navegadores e leitores de tela precisam dessas informações. Assim, dá para entender e comunicar o conteúdo com precisão. Isso também é essencial para quem usa ferramentas de tradução. Idealmente, um público internacional deve ser capaz de digerir o seu conteúdo sem barreiras tecnológicas ou linguísticas desnecessárias.

 

Lembre-se de fazer uma manutenção regularmente

Desenvolver conteúdo acessível nunca deve ser uma iniciativa isolada.  A  acessibilidade não pode ter um papel secundário na sua estratégia. É preciso ter atenção para manter tudo atualizado. Assim como como nos outros aspectos da manutenção do site, o fluxo de informações é constante e dificilmente vai diminuir com o surgimento de novas plataformas de compartilhamento de conteúdo. Então fique sempre ligado!

 

A acessibilidade amplia muito o público do seu produto. Por isso, com ela,  muito mais pessoas vão conseguir ter acesso ao seu conteúdo. Além de trazer diversidade, é ainda uma ótima oportunidade de negócio! Quer saber um pouco mais? Entenda melhor nesse Ebook que preparamos para você!

 

Texto adaptado de Bureau Internet Accessibility

Compartilhe esse post!


No votes yet.
Please wait...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *