Porque você não deve falar linguagem de sinais

Porque você não deve falar linguagem de sinais

Calma, você não leu errado. A gente repete: você não deve falar linguagem de sinais. Ou melhor, você não deve falar linguagem de sinais, porque a Libras é uma língua! 😀

Para quem não sabe, Libras é um acrônimo que significa Língua Brasileira de Sinais, ou seja, ela é um outro idioma! Muita gente pensa que a Libras é só um conjunto de sinais para as palavras em português, mas ela vai muito além disso!

Confundir os termos é uma coisa bastante comum para quem não conhece muito sobre a comunidade surda, e não tem problema se você já fez essa confusão. Só não dá para insistir no erro! Para evitar isso, vamos explicar a diferença entre essas duas palavras para você aprender e não confundir mais!

 

Linguagem de sinais: Imagem retangular de fundo azul escuro. No lado esquerdo lê-se em branco "Os maiores equívocos dos gestores na contratação de PCDs". No lado direito há um botão retangular verde de bordas arredondadas com o texto em azul "baixe o ebook grátis". Fim da descrição.

 

A diferença entre Língua e Linguagem

De uma forma simples, a linguagem pode ser considerada a capacidade que as pessoas têm de se comunicar. Ou seja, a gente se utiliza da linguagem para passar uma mensagem para as outras pessoas. Na verdade, na maioria das vezes, usamos mais de uma linguagem para isso – como a oral, a corporal e a visual. A língua, por outro lado, é um conjunto organizado de sons e gestos que um grupo usa para se comunicar, um sistema que possui uma estrutura e regras próprias.

Por exemplo: imagine que você está em um restaurante na Noruega e não sabe falar norueguês. Com a linguagem corporal e oral, você consegue mostrar para o garçom o prato que deseja pedir, apesar de não conseguir fazer seu pedido na língua dele e de não saber pronunciar o nome do prato. Essa é a diferença entre linguagem e língua!

E é por isso que a Libras é uma língua, porque ela possui suas próprias regras. Aliás, ela é uma das línguas oficiais do Brasil e a primeira língua da comunidade surda. A maioria dos surdos é alfabetizada primeiro em Libras e, por conta disso, não entende bem o português. É por esse motivo que a Hand Talk criou o Hugo, nosso intérprete virtual que traduz os textos dos sites em português para Libras, permitindo que as surdas e os surdos aproveitem as informações!

 

Linguagem de sinais: Imagem retangular, na horizontal, com fundo azul escuro e llistras brancas finas. No canto esquerdo vê-se um pequeno livro azul com as logos da Hand Talk e da ASID, com o título "E-book grátis: Porque a sensibilização é a chave para uma empresa inclusiva". No centro da figura vê-se o mesmo título repetido. No canto direito há um botão retangular na cor verde com o texto "Baixe o ebook grátis" em azul, no centro. Fim da descrição.

 

As outras línguas de sinais

Outra coisa que muita gente não sabe é que a Libras não é uma língua universal. Existem mais de 200 línguas de sinais no mundo e cada uma tem suas próprias normas! Há países em que mais de uma língua de sinais é utilizada, como no Canadá. Lá se usa a Língua de Sinais Americana (American Sign Language) e a Língua de Sinais de Quebec (Langue des signes québécoise) – o que tem forte relação com fato de o país ter tanto o inglês quanto o francês como línguas orais oficiais.

Assim como os idiomas orais, as línguas de sinais também têm semelhanças umas com as outras e muitas vezes compartilham a origem. A própria Libras se originou de uma mistura entre a língua francesa de sinais e gestos usados no Brasil, quando foi criada em 1857. E hoje em dia ela tem a sua identidade própria e uma importância enorme para a comunidade surda, já que é um dos principais pontos de contato entre os surdos!

 

É isso aí, agora você já sabe a diferença! Se quiser conhecer mais curiosidades sobre a Língua Brasileira de Sinais, não deixe conferir o nosso Infográfico sobre o Universo da Língua de Sinais! E se quiser continuar aprendendo, que tal conhecer essas 5 maneiras de aprender Libras online de graça?

 

Compartilhe esse post!



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *