Inclusão no ensino superior: O que o MEC exige das universidades

Inclusão no ensino superior: O que o MEC exige das universidades

Faculdade, muitas vezes, é uma loucura! Antes de tudo, você tem que passar no vestibular. Ah, e quando você consegue, é só festa! Aí a vida te mostra nem tudo é só alegria: começam as aulas, chegam os amigos, vêm as provas e trabalhos. Apesar de tudo,  quando termina, o que fica é a saudade desse tempo…

Triste é saber que milhões de pessoas estão desistindo desse sonho antes mesmo de tentar. Isso acontece porque uma em cada quatro pessoas no Brasil possui algum tipo de deficiência, e as universidades, na maioria das vezes, não estão preparadas para recebê-las. Ter que transpor as diversas barreiras muitas vezes soa desanimador, mas há pessoas que não se deixam abalar e tentam mesmo assim. As universidade estão abraçando cada vez mais a diversidade, saindo de um paradigma de exclusão e partindo para a inclusão. E com a série de medidas que o MEC (Ministério da Educação) tem tomado para promover a acessibilidade no ensino superior, a temática tem, pouco a pouco, ocupado o centro das discussões dentro das universidades.

 

O que o MEC diz sobre acessibilidade

Desde 2016, a Lei Brasileira de Inclusão (LBI) afirma, em seu Art. 27, que a educação é um direito da pessoa com deficiência e que o sistema educacional deve ser inclusivo em todos os níveis. Mas na prática, não é assim que está acontecendo…

Pensando nisso, uma das requisições do MEC para o credenciamento, recredenciamento, autorização, reconhecimento e renovação de cursos superiores é a acessibilidade. De acordo com a Portaria Nº 20, as universidades precisam estar acessíveis seguindo a legislação em vigor para poderem oferecer seus cursos.

Nesse momento, você deve estar se perguntando: “Mas, quando eu devo pensar em acessibilidade? Na hora de cadastrar um novo curso ou recadastrar um antigo?” Na verdade, a acessibilidade deve ser parte das universidades em todas as esferas, seja nos ambientes físicos, na comunicação, nos materiais ou na didática dos professores.

 

Imagem retangular na horizontal, com o fundo bege. No canto esquerdo há, dentro de um círculo, um capelo de formatura sobre livros empilhados, e uma faixa na base que diz "educação" em branco. No centro lê-se: "ebook gratuito, acessibilidade em universidades, para se adequar à lei brasileira de inclusão!". No canto direito há um botão em verde claro forte, com a chamada "BAIXE O EBOOK GRÁTIS". Fim da descrição.

 

E acessibilidade requer planejamento. Cada deficiência – física, visual, auditiva, cognitiva etc. – exige ações de acessibilidade diferentes. E, agora, graças a nova portaria do MEC, sem acessibilidade as universidades não vão conseguir credenciar ou recredenciar seus cursos.

São diferentes tipos de barreiras que precisam ser quebradas, como por exemplo nos ambientes virtuais. Os sites das universidades são um dos seus principais canais de comunicação, onde a maior parte da informação está reunida. E, muitas vezes, estão completamente inacessíveis. As pessoas cegas, por exemplo, utilizam leitores de tela, e quando as imagens exibidas não possuem o Atributo Alt (descrição alternativa), o seu conteúdo não consegue ser compreendido. Outro exemplo são as pessoas surdas. Elas têm como primeira língua a Libras (Língua Brasileira de Sinais). Aproximadamente 80% dos surdos não compreendem bem as línguas orais, como o português, e dependem da acessibilidade em Libras para se comunicar e obter informação.

 

Dando o primeiro passo: como deixar o seu site acessível

Por que deixar seu site acessível? Bom, de acordo com a própria LBI, os sites das organizações públicas e privadas precisam estar acessíveis. Porém, mais do que estar de acordo com a lei, ter um site acessível é permitir que diversas possam acessar seus conteúdos, além de ser um ótimo primeiro passo para levantar a bandeira da inclusão dentro das universidades.

E ficamos felizes de poder ajudar nesse momento, com o Tradutor de Sites da Hand Talk  – que deixa o seu site acessível em Libras em questão de minutos. Após a rápida instalação do plugin, os usuários da sua página têm acesso à janela de Libras, onde podem traduzir os conteúdos para a língua de sinais com a ajuda do Hugo (nosso intérprete virtual). Você pode conhecer mais sobre o Tradutor aqui. 🙂

A acessibilidade em Libras é importante, mas é só o primeiro passo a se dar para uma educação mais inclusiva, então vamos começar essa caminhada juntos!

Compartilhe esse post!


Rating: 5.0. From 1 vote.
Please wait...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *