Descubra em poucos segundos o nível de acessibilidade do seu site

Descubra em poucos segundos o nível de acessibilidade do seu site

A internet é um meio que pode ser visto como muito mais democrático. Com ela, a forma de produzir informação mudou. O pesquisador André Lemos, da UFBA (Universidade Federal da Bahia) diz neste artigo que : “cada usuário é estimulado a produzir, distribuir e reciclar os conteúdos digitais”. Sendo assim, se antes da era digital as informações eram obtidas a partir de um único emissor, agora elas são produzidas de uma nova forma.

No entanto, essa possibilidade de um acesso à conteúdos, de forma menos limitada e mais alcançável a todos, esbarra no quesito de acessibilidade. Como a gente já disse aqui no blog, hoje, mais de 90% dos sites estão offline para os brasileiros que possuem algum tipo de deficiência.  

 

Por que saber disso é importante?

Se você já pensou nesse assunto e tem avaliado formas de tornar a sua página na internet mais acessível à todos, existem ferramentas que podem te auxiliar a medir o seu nível de acessibilidade. Algumas delas são: ASES, AccessMonitor e o Avaliador do MWPT. Todas elas são gratuitas, e importantes para começar a planejar formas de tornar o seu site mais disponível para todos. Assim, você consegue entender quais são os erros dele, e também como fazer para aperfeiçoá-lo.

Mas, o que na prática torna o seu site mais acessível? De acordo com as Diretrizes de Acessibilidade para o Conteúdo da Web 2.0 (WCAG), existem diversos requisitos.  No caso de pessoas com deficiência visual,  por exemplo, é importante que o site tenha uma descrição para as imagens. Além disso, os links devem ser navegáveis por meio do teclado. Isso também possibilita o acesso de usuários que tenham deficiência motora.

A seguir, vamos destrinchá-las, uma a uma, para você entender um pouco melhor quais as vantagens e diferenciais de cada uma dessas ferramentas. Todas elas seguem os padrões da WCAG 2.0.

 

Imagem retangular na horizontal, com fundo verde-água. No canto esquerdo há dois elementos: um computador com dois símbolos saindo de si em balõezinhos, o símbolo de acessibilidade da ONU e um vaso com uma flor, com um cifrão ($) no centro. Além disso há uma pequena faixa no canto esquerdo com o texto "ebook grátis!" escrito em branco. No centro da figura, em negrito há o texto "Porque ter seu site acessível é uma oportunidade de negócio". No canto direito da imagem há um botão laranja com o texto "baixe o ebook grátis" em branco. Fim da descrição.

 

Ferramentas que podem te ajudar

ASES

O Ases (Avaliador e Simulador de Acessibilidade em Sítios), foi desenvolvido há três anos pelo Ministério do Planejamento. O público-alvo  da ferramenta são os desenvolvedores de sites. Lá,  é possível tanto avaliar o nível de acessibilidade, como também corrigir possíveis problemas. O nível será medido em porcentagem.

AccesMonitor

Ferramenta  ligada ao governo de Portugal , o AccesMonitor verifica a acessibilidade de sítios, com referência, nas diretrizes da WCAG, assim como a ASES. A ferramenta funciona diretamente na web e não requer download. Ao utilizá-la, você receberá um relatório de acessibilidade, em linguagem leiga. Esse recurso é muito interessante, porque facilita a compreensão dos erros.

Avaliador do Movimento Web Para Todos

O Avaliador do Movimento Web para todos, possui o diferencial de comparar o seu site com outros já analisados anteriormente pela ferramenta. Nele é possível obter uma espécie de classificação de acessibilidade, o que dá uma noção conjunta do nível em que está o seu site.

O avaliador do MWPT é um pouco diferente das outras plataformas citadas. Ele não está ligado ao poder público. A ferramente foi ideia de uma jornalista, a Simone Freire, que iniciou esse projeto de inclusão digital das pessoas com deficiência no começo de 2017.

 

Websites acessíveis se comunicam com muito mais pessoas e, por consequência, podem atingir um número muito maior de usuários e clientes. Além de tudo isso, ter um público diverso é sempre positivo, não é mesmo? 😉

Compartilhe esse post!


No votes yet.
Please wait...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *